Artigos e Teses


Dor neuropática atípica ou pós-traumática

As dores neuropáticas são advindas de uma lesão ou uma disfunção do sistema nervoso como decorrência da ativação anormal da via nociceptiva, ou seja, as dores podem iniciar após procedimentos que comprimam, estirem, rompam ou dilacerem os nervos. Este tipo de dor também acomete a região orofacial, proporcionando diversas reações como choque, queimação, coceira, formigamento ou até longos dias de desconforto. Na odontologia, qualquer procedimento que lesione um nervo, como por exemplo exodontias, tratamentos endodônticos, cirurgias de implantes, cirurgias periodontias e até mesmo uma anestesia local, pode levar a uma dor neuropática, que conhecemos pelo nome de dor neuropática atípica ou pós-traumática.

Pela primeira vez em minha vida profissional, tive um caso de dor pós-traumática após a exodontia de um 3o molar. O que fazer? Nestes casos, devemos encaminhar os pacientes aos neurologistas, que, com muita competência e maestria, estão aptos a cuidar deste sintoma. A minha paciente realizou um curto tratamento medicamentoso e já não relata dor alguma.

Vale lembrar que os sintomas são muito parecidos com os da pulpite, a inflamação da polpa dentária, e nós, cirurgiões dentistas, devemos estar atentos ao diagnóstico antes de pensar num plano para o tratamento.

Também precisamos prestar a devida atenção aos pacientes portadores de dores crônicas e doenças psicossomáticas, pois estão muito mais susceptíveis à dor neuropática atípica. O plano de tratamento, nestes casos, deve ser bem pensado e elaborado, sobretudo no que diz respeito aos riscos e aos benefícios que ele trará, mas o mais importante é esclarecer os pacientes, pois um simples tratamento odontológico poderá desencadear uma dor inimaginável e quem o recebe tem o direito de saber disso. (Danielle Louise Sposito Bourreau)








Compartilhe