Artigos e Teses


Os Alimentos e a camada de mielina

A camada de mielina é uma bainha rica em lipídeos que reveste os axônios neuronais tanto no sistema nervoso central como no periférico. É um isolante elétrico que permite uma condução mais rápida e mais energeticamente eficiente dos impulsos nervosos, ou seja, das mensagens enviadas ao cérebro e suas respostas. Esta bainha é formada pelas membranas celulares das células da glia (células de Schwann no sistema nervoso periférico e oligodendróglia no sistema nervoso central).

Se esse revestimento for danificado, problemas de memória e de movimentos e funções específicas são comuns. Certas doenças autoimunes e fatores químicos externos tais como pesticidas em alimentos podem danificar a bainha de mielina. Para os alimentos ajudarem na regeneração dessa cobertura neuronal, você deve remover todos os produtos químicos prejudiciais da sua dieta e melhorar a qualidade e o estilo de vida. Além disso, você vai precisar de minerais e gorduras específicas, de preferência obtidos através de uma dieta rica em nutrientes.

Coma alimentos ricos em colina e inositol. Esses aminoácidos são cruciais para a reparação da bainha de mielina. A colina pode ser encontrada em ovos, carnes, feijão e algumas nozes e também auxilia na prevenção da formação de depósitos de gordura no corpo. O inositol mantém um sistema nervoso saudável, auxiliando na produção da serotonina, um neurotransmissor. Nozes, legumes, vegetais, frutas de casca rija e banana contém a substância. Os dois aminoácidos se combinam para produzir a lecitina, que reduz as gorduras nocivas do sangue, já que níveis elevados de colesterol e gorduras impedem a reparação da bainha de mielina. A lecitina também é encontrada em muitos cereais, soja, peixes, gema de ovo, levedo de cerveja, fígado, azeitonas, chocolate, passas, sementes de girassol, nozes, leite e derivados. Uma fonte adicional da substância pode ser um aditivo alimentar biologicamente ativo.

Coma alimentos ricos em vitaminas do complexo B. Além de acelerarem o metabolismo, as vitaminas B1 e B12 são componentes físicos da bainha de mielina e podem ser encontradas em arroz, espinafre, lentilhas, carne de porco, alimentos lácteos, atum, cereais integrais e pão de centeio. Também é importante consumir quantidades adequadas de ácido fólico. Suas fontes são leguminosas (ervilhas, feijões, lentilhas), frutas cítricas, nozes, sementes, aspargos, aipo, brócolis, beterraba, cenoura e abóbora.

Adicione ácidos graxos à sua dieta, pois aumentam o teor de gordura da bainha. Linhaça, óleos de peixe, salmão, nozes e feijão contêm ácidos graxos Omega-3. A bainha de mielina tem 70% da gordura oriunda de tais ácidos. O ácido oleico, por exemplo, pode ser encontrado no azeite, no abacate e nas nozes.

Adicione alimentos que contenham cobre. A bainha de mielina se regenera usando lipídeos que só podem ser produzidos a partir de uma enzima dependente do cobre. Sem essa ajuda, os outros nutrientes não podem fazer seu trabalho. O cobre é encontrado em lentilhas, amêndoas, sementes de abóbora, sementes de gergelim, cacau e chocolate meio amargo. Fígado e frutos do mar também podem conter o metal em doses mais baixas. Ervas secas, como orégano e tomilho, são uma maneira fácil de adicioná-lo à sua dieta.

Por último, uma dieta para restaurar a camada de mielina dos nervos deve conter uma quantidade suficiente de cálcio. Ele é encontrado em alimentos como leite e derivados, nozes, peixes, legumes, frutas e cereais. Para a plena absorção de cálcio na dieta deve-se incluir magnésio, encontrado em nozes e pão integral, e fósforo, encontrado nos peixes.

É o que eu sempre digo a respeito da tríade boa alimentação + atividades físicas + qualidade de sono: Se dermos subsídios ao nosso corpo, ele responderá favoravelmente com saúde e qualidade de vida. (Danielle Louise Sposito Bourreau)








Compartilhe